crianças & adolescentes

sintomas

 

Sintomas típicos na infância

Descontrole de raiva  |  Dificuldades com limites

O descontrole de raiva em crianças e as dificuldades com limites geram muitos problemas na família, como brigas em casa ou na escola, comportamentos disruptivos, desacordos entre os pais, etc. Nestes casos, torna-se necessário um trabalho de regulação emocional com a criança e orientação adequada aos pais.

Medos  |  Preocupações  |  Ansiedade      

É normal sentir medo em determinadas circunstâncias, mas quando essa emoção interfere na vida diária de seu filho e na sua rotina, isso pode ser um sinal de um distúrbio de saúde mental. Os sintomas de medo ou preocupação excessiva podem estar relacionados aos transtornos de ansiedade tais como: Transtorno de Ansiedade de Separação, Transtorno de Ansiedade Social ou Fobias específicas.

 

Tristeza  |  Comportamento suicida

A tristeza pode ocorrer em crianças e adolescentes por diversos motivos. Por exemplo, sentir-se triste pela perda de um membro da família ou de um amigo. No entanto, se o seu filho parece estar triste por mais de duas semanas, demonstra ter falta de esperança, ou refere que pode se machucar, isso pode ser um sinal importante de que ele precisa de ajuda especializada.

 

Mudanças de humor

Mudanças de humor e crises de raiva intensas e graves (além do esperado para a faixa etária da criança) são dois sinais de transtorno do espectro bipolar da criança e do adolescente.

Dificuldades de atenção  |  Hiperatividade

Muitas crianças têm períodos curtos de atenção e podem apresentar um comportamento hiperativo associado. Estas crianças manifestam dificuldades para manter o foco em determinadas tarefas, não param quietas e parecem ter muita energia. Estes sintomas podem indicar um quadro de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

Dificuldades de controle dos esfíncteres (problemas de eliminação)

Existem dois transtornos que podem afetar as crianças com estas dificuldades: a enurese e a encoprese. A enurese é definida como a eliminação da urina na cama / roupa em crianças com pelo menos cinco anos de idade. Para confirmar o diagnóstico, a micção deve ocorrer pelo menos duas vezes por semana durante três meses. A enurese pode ocorrer durante o dia, à noite, ou em ambos períodos. A encoprese se caracteriza pelo esvaziamento voluntário ou involuntário dos intestinos (incontinência fecal) em locais inapropriados. Este diagnóstico ocorre em crianças com pelo menos quatro anos de idade (os sintomas devem persistir por pelo menos três meses).

 
 
 
 
 
 
 

adultos

Dificuldades que levam à busca por tratamento

 

Transtornos de ansiedade

 

Todos nós experimentamos sentimentos de ansiedade antes ou durante um evento estressante, como falar em público ou em um encontro. Já no transtorno de ansiedade o sujeito experimenta intensa ansiedade durante um período de mais de seis meses.  A ansiedade pode manifestar-se de formas diferentes para cada pessoa. Por exemplo, ela pode influenciar mais na vida social, enquanto outra pessoa pode sentir mais sintomas físicos. Os transtornos de ansiedade específicos têm sintomas diferentes, mas todos eles estão centrados em torno da emoção básica medo.

              

O que pode ser feito para tratar a ansiedade?

 

A terapia cognitivo-comportamental se mostra muito eficaz para o tratamento dos transotrnos da ansiedade. A terapia ajuda os clientes a se tornarem conscientes do significado de seus sintomas, procurando desenvolver estratégias úteis para lidar com ela, visando a melhora da qualidade de vida do cliente.

 

 

Relacionamentos  |  Divórcio  |  Separação

 

Os relacionamentos exigem uma série de habilidades, incluindo a capacidade de entender a si mesmo, entender seu parceiro, buscando conviver de maneira saudável e produtiva. Também é importante aprender a resolver problemas e negociar diferenças.

 

Os processos de separação e divórcio podem requerer um momento de reflexão para que o cliente reestabelaça as prioridades da sua vida. São momentos que podem gerar muita instabilidade emocional. A ajuda de um psicólogo pode contribuir para avaliar esta etapa da vida. O objetivo nestes casos é auxiliar o cliente a perceber o momento em que se encontra, contribuindo para a estabilização emocional e o surgimento de um novo ciclo de experiências, de acordo com as escolhas do cliente.

 

 

Depressão

 

A Depressão é um transtorno de humor que afeta negativamente a forma como uma pessoa pensa, sente e se comporta, gerando pensamentos negativos sobre si, baixa autoestima, visão pessimista, sentimento de baixa energia, dificuldades para dormir entre outros sintomas.

 

O que pode ser feito para tratar a depressão?

 

A terapia cognitivo-comportamental ajuda a reconhecer o que pode estar contribuindo para os sintomas, auxilia a pessoa a reestuturar os padrões de pensamento negativos, o que contribui para a mudança nos comportamentos, no estado emocional e nos sintomas físicos como baixa energia ou dificuldades para dormir. Em alguns casos, o paciente necessita combinar a psicoterapia com o uso de medicação para alcançar maiores benefícios.

 

 

Estresse

 

O estresse é uma reação normal à mudança, a um desafio que podemos estar enfrentando, ou ao excesso de preocupação devido a uma carga elevada de problemas ou trabalho, por exemplo. Todo mundo se sente estressado às vezes. Algumas pessoas lidam com o estresse de forma mais eficaz ou se recuperam de eventos estressantes mais rapidamente do que outros. Infelizmente, o estresse que persiste por mais de algumas semanas pode afetar sua saúde. Alguns dos sintomas do estresse podem ser: sentir-se cansado sem uma razão específica, dificuldades para dormir, sintomas de ansiedade, depressão, crises de raiva, tensão, dificuldades para memorizar, etc.

 

O que pode ser feito para tratar o estresse?

 

A terapia cognitivo-comportamental auxilia no processo de autoconhecimento e dos processos de funcionamento do sujeito que estão relacionados as respostas de estresse. Além disso, o terapeuta também utiliza técnicas de relaxamento que auxiliam no gerenciamento do estresse.

 

 

Transtorno obsessivo-compulsivo

 

O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) caracteriza-se pela presença de obsessões e / ou compulsões constantes e severas que consomem muito tempo (geralmente mais de uma hora por dia), causando grande sofrimento. As obsessões caracterizam-se por pensamentos repetitivos, impulsos ou imagens que causam muita preocupação ou angústia. As obsessões mais comuns são: preocupação com sujeira ou secreções corporais, medo de que algo terrível possa acontecer a si mesmo (sentimento de insegurança) ou a alguém querido e preocupação com simetria.

 

Já as compulsões são comportamentos repetitivos ou atos mentais que visam reduzir a ansiedade produzida pelas obsessões. Geralmente a pessoa realiza uma compulsão para reduzir o sofrimento causado por uma obsessão. As principais compulsões são: lavagem de mãos, verificação de portas, ordenação e arrumação, contagem e colecionismo.

 

O que pode ser feito para tratar o TOC

Pesquisas apontam a Terapia Cognitivo-Comportamental com um tratamento efetivo e de primeira linha para o transtorno. O tratamento pode ser feito de forma isolada ou com suporte medicamentoso. O cliente aprenderá técnicas e habilidades para enfrentar seus sintomas, contribuindo assim para a redução dos mesmos e uma melhora na sua qualidade de vida.

 

 

Transtorno de estresse pós-traumático

O transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) caracteriza-se por uma série de alterações psicológicas, físicas e comportamentais que o sujeito manifesta após um evento traumático. Um evento traumático caracteriza-se quando uma pessoa é vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações traumáticas que representa ameaça à vida ou à vida de terceiros. Nem todas as pessoas vão sofrer deste transtorno após a vivência de uma situação traumática, mas uma de cada três pessoas costumam experimentar sintomas que configuram o transtorno.


Os sintomas de TEPT podem ser divididos em quatro áreas

 

1. Revivência

O sujeito experimenta o evento novamente na mente através de lembranças intrusivas do evento, podendo despertar sensações emocionais e físicas associadas ao trauma, como os cheiros, ativação da emoção medo e até mesmo dor física.

Evitação: O sujeito, para não reativar o evento traumático na memória, evita qualquer coisa, alguma pessoa ou qualquer lugar que lembre o trauma.

 

2. Hipervigilância

A pessoa com TEPT tem dificuldade em relaxar. Sua mente está constantemente alerta e à procura do perigo. Ela teme que o evento traumático possa ocorrer novamente. Sintomas como dificuldade para dormir, irritabilidade e nervosismo são bastante frequentes.

 

3. Alterações negativas com relação a cognição e humor

Os pensamentos e o humor também são afetados. É comum dizer que não consegue em confiar nos outros, acreditar que sua vida perdeu o sentido entre outros pensamentos. Seu estado emocional pode ser de sentimentos depressivos e até mesmo de ansiedade.

 

O que pode ser feito para tratar o TEPT

 

A Terapia Cognitivo-Comportamental focada no trauma usa imagens mentais do evento traumático para ajudá-lo a obter controle do seu sofrimento, trabalhando suas emoções, pensamentos, comportamentos e respostas fisiológicas associadas ao trauma.  Em alguns casos podem surgir sintomas depressivos que requerem o uso de medicação para um melhor benefício da psicoterapia.

 
 
 
 
 
 
 

Rua Gomes Portinho, 17 sl. 1207

Centro  |  Novo Hamburgo / RS


Rua Dona Laura, 207 cj. 103

Rio Branco  |  Porto Alegre / RS

 

E-mail: rodrigoserra76@gmail.com

Fone: +55 51 98108-7992 

arrow&v
contato.